Cientistas da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, imprimiram em 3D as primeiras córneas humanas. A novidade foi anunciada no site da universidade.
A equipe misturou células-tronco de uma córnea doadora saudável com alginato e colágeno para criar uma "biotinta". Ao examinar os olhos de um paciente, o grupo poderia usar os dados para imprimir rapidamente uma córnea que correspondesse ao tamanho e ao formato do rosto dele.
Usando uma bioimpressora 3D - "prima" da impressora 3D que lida com materiais biodegradáveis e orgânicos - de baixo custo, a biotinta foi modelada em círculos concêntricos para formar uma córnea humana em menos de dez minutos. O passo seguinte foi estimular as células-tronco para crescerem.
Estima-se que a cegueira corneana ameace até 10 milhões de pessoas em todo o mundo, com outros 5 milhões sofrendo cegueira total devido a cicatrizes na córnea causadas por queimaduras, lacerações, abrasão ou doença.
Com córneas saudáveis disponíveis para transplante são escassas, muitas equipes em todo o mundo estão atrás da biotinta ideal para viabilizar esse processo.
Nosso gel exclusivo mantém as células-tronco vivas enquanto produz um material que é rígido o suficiente para manter sua forma, mas macio o suficiente para ser espremido pelo bocal de uma impressora 3D", diz Che Connon, professor de Engenharia de Tecidos na Universidade de Newcastle, que liderou o trabalho.